Após uma longa data sem atualização, finalmente voltamos com tudo sobre a audiência pública na Câmara dos Deputados em Brasília.

No dia 27 do mês de Maio de 2014 as 14:30, finalmente aconteceu a tão esperada audiência pública para games em Brasília.

Isso era algo que a mais de 3 anos estávamos lutando para ser feito e quando aconteceu, lá estávamos novamente a frente para a tentativa de redução de carga tributária nos games.

A Audiência pública só foi possível porque Moacyr Alves Junior atual presidente da ACIGAMES, fez o pedido através da Deputada Federal do PC do B de Pernambuco a Dep. Luciana Santos que por sua vez teve o primeiro contato feito através do atual representante da secretária de cultura de Anápolis em Goiás o Sr. Caio Rodrigues que é amigo pessoal do Moacyr Alves, bem como representante da ACIGAMES em Goiás.

IMG03Caio Rodrigues, Dep. Luciana Santos e Moacyr Alves Jr.

Tivemos praticamente a seção toda lotada e com a presença de três ministérios e seus respectivos representantes, Pedro Menezes do ministério da ciência e tecnologia, James Gorgen do ministério das comunicações e Georgia Haddad do ministério da cultura, fora vários deputados entre eles Jean Wyllys, que foi um dos que mais contestaram sobre a audiência e seus respectivos participantes.

Todas as falas dos representantes foram de certa forma já conhecidas antes, porem muito importantes para citar novamente na audiência como a fala do Moacyr Alves Jr. mostrando novamente sobre a alta carga tributária nos games e bem como Manoel dos Santos da ABES (Associação Brasileira de Software) que também destacou sobre o problema da tributação nos games e como eles são totalmente classificados de maneira errada por nosso fisco.

Apresentação ACIGAMES    Apresentação ACIGAMES e Jogo Justo

Algumas questões foram interessantes, mas também não foram explicadas, como no caso do Ministério da Cultura, onde foi citado que a Ministra Marta Suplicy reconheceu os games como cultura, mas como fica o vale cultura para games ? Pois bem ainda não podem ser usados.

Os Ministérios presentes apontaram algumas ações que estão fazendo para a área do desenvolvimento que claro são boas, porem não são suficientes para realmente ajudarem o mercado como um todo ainda.

Também não foi citado nenhum apoio a área acadêmica, mas até então não tinha ninguém representando o ministério da educação.

Efetivamente a audiência pública não teve grande impacto produtivo, mas só de estarmos lá em uma audiência exclusiva para essa área na câmara dos deputados, demonstra o interesse que o governo está começando a ter nesse sentido. O grande problema é que a parte do governo que sempre queremos, nunca está presente que é a Receita Federal, nesse sentido percebemos que eles fazem tudo para não comparecerem as audiências e as requisições de reuniões.

Mesmo assim, é impossível que após a audiência nada aconteça, porque de fato estamos ganhando cada vez mais notoriedade e cada vez mais estamos conversando com representantes do governo e isso já é algo a se levar em conta.

O que não podemos mesmo é parar e achar que as coisas vão se resolver por si só, nossa equipe não desiste e vamos continuar lutando para melhorar esse quadro no Brasil, afinal de contas é uma das áreas da economia criativa que mais cresce no mundo, não podemos cruzar os braços e esperar que outros entendam o que acontece no mundo e sim fazer com que eles vejam que estamos perdendo um dos melhores mercados que existem.

 

 

 

 

 

No dia 19 de Dezembro de 2013 o Jogo Justo formalizou a união com outros dois grandes movimentos o Movimento Brasil Eficiente comandado pelo Instituto Atlântico e o movimento Assina Brasil, que também luta para manter uma eficiência tributária no recolhimento dos impostos em nosso país.

 

Brasil eficiente logo

 

O presidente do Jogo Justo e também presidente da ACIGAMES a Associação Comercial, Industrial e Cultural dos jogos eletrônicos e aplicativos do Brasil foi chamado para uma reunião na sede do Movimento Brasil Eficiente, para uma conversa com os representantes e foi muito interessante saber que os dois movimentos tem além de muita sinergia, também tem muito o que fazer juntos.

Ambos já trabalham com a questão da PAC-PME que acaba de passar na Câmara dos deputados em Brasília como “Brasil + Competitivo” e com isso agora já são vários movimentos grandes para pedir a tão sonhada redução de carga tributária.

Como primeiro passo desta união, vamos todos juntos na audiência pública que foi remanejada para a segunda quinzena de Janeiro em Brasília, nosso vice-presidente o Jorge Proença, participou de uma reunião fechada na Câmara dos Deputados no mês passado para a PAC-PME enquanto o presidente da associação o Moacyr Alves estava na Secretaria do Ministério das Ciências e Tecnologias do Rio de Janeiro para ganhar aliados na votação da Audiência Pública para o setor de games em Brasília.

20131127_103431       20131127_104515

Acreditamos que mesmo com dois grandes eventos para o ano de 2014 como a Copa do Mundo e também as eleições que vão acontecer em Outubro, estamos otimistas que o próximo ano pode ser decisivo para todos esses movimentos.

Aproveitamos e desejamos a todos um feliz natal e um próspero ano de 2014, com impostos mais justos para toda a nação brasileira.

 

No dia 30 do mês de Outubro de 2013 a equipe da ACIGAMES (Associação Comercial Industrial e Cultural dos jogos eletrônicos do Brasil) fez o pedido formal para uma audiência publica na câmara dos deputados.

 

 

audiencia publica

 

 

No documento pedimos para ter presentes os seguintes orgãos governamentais:

 

- Ministério da Cultura (Secretaria do Áudio Visual e Secretária da Economia Criativa)

- Ministério da Ciência e Tecnologia

- Ministério da Justiça (Classificação Indicativa)

- Ministério do Comércio Exterior

- Secretaria da Anti Pirataria

- Receita Federal

- Comissão Parlamentar (Deputados e Senadores)

 

O documento foi encaminhado ao parlamento através da Deputada federal Luciana Santos do Pc do B de Pernambuco a deputada também é a presidenta da frente parlamentar mista defesa cultura.

 

As justificativas para a audiência publica para o setor de jogos eletrônicos foram os seguintes:

 

Desenvolvimento Nacional:

Em países como o Canadá e França o governo investe em 70% da produção de jogos nacionais para empresas que apresentem projetos que cheguem no máximo a US$ 1.000.000,00.

Na Romênia se você trabalha com games, não é necessário pagar impostos.

Na Coreia do Sul se você comprovar que vai ou trabalha em uma empresa de games o jovem é liberado do serviço militar.

Já no Brasil além de não termos absolutamente benefício algum, empresas nacionais ainda pagam impostos na casa dos 38,5%. Adicionalmente a alta carga tributária trabalhista, acaba por inviabilizar quase que completamente a contratação de profissionais da área, tendo-se em vista que profissionais neste setor tem seu salário bem valorizado.

Além disso, podemos citar a falta de editais de incentivo para o setor de games bem como toda a cadeia criativa que envolve a criação do mesmo.

A utilização da Lei Rouanet foi muito bem vista pelo setor, porém não se consegue empresas para dar aporte aos projetos aprovados. Um dos motivos é porque a área de games no Brasil ainda é muito nova e, sendo assim, as empresas não se sentem motivadas para aportar dinheiro em projetos voltados a games.

Comércio de games:

Aqui temos o grave problema dos impostos, cuja carga tributária chega a 78,2 % do produto e na qual o pequeno e médio empresário vê-se sufocado pelo governo e tem uma expectativa de vida empresarial bastante reduzida.

Morosidades alfandegárias também tornam-se problemas, principalmente pela falta de “compreensão” a respeito do que um game efetivamente representa na economia. O governo não entende se o game é um “brinquedo” ou se ele é um “software” e isso prejudica completamente toda a cadeia comercial que envolve games.

Fora isso as placas de vídeo para computadores PC´s de mesa também sofrem com uma altíssima carga tributaria e desta forma favorece e muito o contrabando ilegal, prejudicando trabalhos muito bons como o que a empresa Nvidia vem desenvolvendo perante o mercado de jogos para PC´s

Com todo esse cenário contra o comerciante legal, obviamente temos um “mercado cinza” que acaba se tornando altamente difundido, justamente por aproveita-se destas dificuldades e vender a sua mercadoria contrabandeada ou mesmo pirateada.

 

Outras justificativas que para a audiência são validas e que também seja levado em conta o trabalho acadêmico que vem se criando no país, bem como toda a nova cadeia de produção para esse setor. Neste sentido, não podemos de forma alguma deixar o Brasil na contramão do que acontece em torno desta nova área da economia criativa, bem como a seu grande potencial perante as mídias já tradicionais (TV, Cinema, etc.)

 

Os games hoje representam uma das formas mais inovadoras e poderosas no quesito de aprendizagem e também de entretenimento. Seu potencial interativo hoje é mais do que reconhecido em diversos países, nos quais o setor de jogos goza de posição de destaque e estratégico como no caso do Canadá, EUA, França entre muitos outros.

 

Segundo a assessoria da Deputada o pedido será entregue na semana segunda semana do mês de Outubro e a previsão da audiência será na segunda quinzena de Novembro. Vamos torcer para que a audiência aconteça já em Novembro e esperar pelos resultados da mesma.

 

Um grande abraço a todos da equipe do Jogo Justo e da ACIGAMES.

ACIGAMES na Black Friday Summit

Black_Friday_Summit_blog1

A ACIGAMES foi convidada a participar do Black Friday Summit no próximo dia 8 de agosto. A Black Friday é a data em que o comércio dos Estados Unidos promove a maior liquidação do ano, visando limpar os estoques antes das vendas de Natal. A promoção tradicionalmente cai na 4ª sexta-feira de novembro após o feriado de ação de graças.

No Brasil, o Busca Descontos trouxe a promoção em 2010 e desde então tem obtido resultados extremamente positivos graças à participação dos maiores sites de e-commerce do país, tornando a data muito importante no calendário do e-commerce nacional.

O Black Friday Summit visa preparar os participantes para a realização da Black Friday brasileira deste ano, discutindo as dificuldades encontradas pelos sites de e-commerce nos anos anteriores e oferecendo novas perspectivas ao segmento permitindo um planejamento mais concreto.

A participação da ACIGAMES visa acrescentar as perspectivas do comércio de games durante a Black Friday brasileira uma vez que os games representam uma fatia cada vez maior nas promoções do evento nacional.

Realizado durante a Digital Week ESPM, o Black Friday Summit terá temas-chaves que serão debatidos por Lojas virtuais, Empresas de Sistema de Pagamentos, Tecnologia, Logística, Sites de Reclamações, Marketing entre outros.

O evento ocorrerá no dia 08 de Agosto na Digital Week ESPMem São Paulo.

Mais informações em: Black Friday Summit

 

No dia 24 de Março de 2013 a equipe do Jogo Justo junto com filiados e parceiros foram até a sede da receita federal em Brasilia para discutir sobre os preços dos jogos no Brasil e sua tributação excessiva.

 

Estavam presentes na Reunião 07 pesssoas representando a área de games entre as empresas: Zap Games, Ecogames, Positivo, mais dois escritórios de advocacia e também o diretor tributário da Associação ABES.

 

foto

 

Da parte do governo tinhamos praticamente todos os agentes alfandegários e dos responsáveis sobre a tributação.

 

A reunião começou com os responsáveis da receita federal falando sobre a pirataria nos consoles e o problema que ela representa. Na sequencia Felippe Rainho da distribuidora Zap Games falou dos problemas que temos com a importação de jogos bem como o valor dos tributos nos games.

 

Os agentes da Receita Federal comentaram que a questão tributária vem desde 20 anos atrás com a lei de reserva de mercado e que eles aplicam esses impostos por conta da lei, os mesmos falaram que para uma redução teríamos que mudar nossa estratégia e ir em vários setores dos ministérios para enquadrar os games como Software o que de fato são.

 

Para vocês terem uma ideia de como é arcaico a questão tributária no Brasil para os games,  quando começamos a falar sobre os tributos eles falaram da tributação em “Cartucho” coisa que a área de games a muito tempo usa, porque praticamente tudo é a base de CD´s de DVD´s e de Bluray só mesmo os jogos dos portateis como PsVita e Nintendo DS que são considerados cartuchos pelas empresas.

 

Nós também perguntamos a questão dos projetos anteriores que fizemos do Jogo Justo e recebemos uma resposta simples e rápida “Nem li”

 

Eles falaram que o mercado de games é um mercado muito pequeno para ser levado em consideração ainda, pois o volume de vendas é baixo, nós usamos o argumento que se o imposto for reduzido o país iria comprar mais jogos originais e sendo assim reduziriamos a pirataria.

 

Ao final da reunião chegaram mais agentes do governo e o tom mudou da conversa, onde eles eram bem mais “pró-gamers” sendo que um disse que gostava muito do trabalho do Jogo Justo e que a um bom tempo procurava nosso contato para conversar.

 

Desta reunião conseguimos todos os direcionamentos de onde levar o projeto e a quem apresentar, temos agora uma nova esperança, pois foram pessoas que nós não tinhamos contato antes e de certa forma essas portas foram abertas.

 

E melhor ainda nasceu o grupo que batizamos de G1 para a redução da carga tributária nos games e esse grupo unido tem bastante força.

 

DSC00002

A equipe do Jogo Justo apesar das dificuldades não vai desistir de lutar pelos impostos mais justos nos games.

 

Abraços a todos.

No dia 13 de Junho deste ano a equipe do Jogo Justo teve uma importante reunião no Staples Center com representantes da área de games de vários países e foi a primeira vez que o Brasil foi convidado para essa importante reunião sobre o mercado, nesta reunião estavam presentes os seguintes países e seus representantes:

 

- Moacyr Alves – (ACIGAMES/Jogo Justo) – Brasil

- Mario Aguilar – (ACIGAMES Miami) – Brasil

- Lucia Regiane – (Playercont) – Brasil

- Susan La Sky – (Silicon Sky/Atlanta University) – Porto Rico/EUA

- Dr. Maximilan Schenk – (Gamescom) – Alemanha

- Jeff Patrick Pellegrin – (Louisiana GMD) – EUA

- Jayson Hilchie – (ESA) – Canada

- Dwayne A. Gathers – (Gathers Strategies) – EUA

- Kate Edwards – (IGDA) – EUA

- Andro Baluyut – (GameOps) – Filipinas

- Per Stromback – (Datasplesbranschen) – Suiça

- Micaela Romanini – (AIOMI) – Itália

 

DSC00058

 

Nesta importante reunião cada país expõe suas dificuldades e os representantes propõem ajuda e também soluções de como melhorar e superar os problemas encontrados.

Quando nós do Brasil falamos sobre a carga tributária dos jogos e como o governo brasileiro tem problema em aceitar o desenvolvimento nacional tanto para mercado quanto para as desenvolvedoras, foi unânime o espanto de todos e chegamos a escutar coisas como:

- Como vocês conseguem sobreviver com uma carga tributária dessas?

O representante do governo do Canadá nos contou que de início teve problemas para que o governo canadense aceita-se incentivar o mercado de jogos, porem quando começaram a ver o retorno e o potencial da área, não hesitaram em investir e o fizeram pesado. Tanto que hoje a área de games no Canadá é a terceira que mais recebe investimento do governo, chega ao ponto do governo do Canadá pagar 70% de sua empresa Startup de jogos.

 

DSC00060    DSC00066

 

Todos concordaram em enviar documentos e propostas para que nosso governo pudesse entender que a área de games é uma das que mais cresce no mundo inteiro e que o potencial do Brasil nesse sentido é muito grande.

Porem aqui no Brasil estamos cientes que o caminho a ser trilhado para os games é bem mais complicado do que se parece, pelo visto apesar de nosso esforço durante os 2 anos e meio que temos, percebemos que pouco o governo se preocupou e também não demonstram que isso vá melhorar a curto prazo o governo ainda vê a área de games como “jogos para crianças” ou senão “algo que cria assassinos” onde nós do Jogo Justo chegamos a história é sempre a mesma e eles estão bem mais preocupados com os investimentos para a próxima copa do mundo.

Ano passado fomos 12 vezes a Brasília e só nesse ano de 2013 já fomos 04 vezes e o que parece que estamos caminhando sim, porém a passos muito lentos, enquanto o resto do mundo corre rapidamente para esse mercado fértil da economia criativa.

Mesmo com todas essas dificuldades e sofrendo preconceito como nossa área sofre aqui no Brasil, não vamos deixar de lutar até que apareça alguém no governo que entenda o que precisamos para o Brasil crescer nesse sentido que é a redução da abusiva carga tributária, que só favorece a pirataria e o mercado cinza e que no final das contas o próprio governo e os cidadãos acabam perdendo com isso.

Fomos aplaudidos nesta reunião e todos os integrantes dessa importante mesa nos elogiaram, falando até mesmo que em nosso caso já teriam desistido.

Mas enfim se já chegamos perto da conquista, não vai ser agora que vamos desistir e custe o que custar vamos conseguir.

Abraços a todos

Equipe Jogo Justo.

Nos dias 29 e 30 de Abril aconteceu em Brasilía no memorial Darcy Ribeiro o evento “Coletivos Criativos” uma iniciativa da Agência IR.Wi e da Secretária do Audio Visual do Ministério da Cultura.

Neste dia vários representantes das áreas de cultura como cinema, animação, teatro, internet, dança entre outros se apresentaram.

 

DSC09185   DSC09187

Memorial Darcy Ribeiro   –   Marcos Ligocki Junior produtor executivo de cinema

DSC09191   DSC09177

Bruno Scartozzoni falando de transmidia e a Compania do Bambu

Moacyr Alves da ACIGAMES e do projeto Jogo Justo fez uma palestra mostrando a importância da transmídia nos games e o quanto isso não é explorado no Brasil e o potencial que podemos desenvolver nessa área.

A palestra começou mostrando os dados crescentes do setor dos games no Brasil e o quanto pode ser promissor esse mercado com a desoneração dos Smartphones que acaba de ser anunciada.

E claro isso é uma oportunidade também para o desenvolvedor nacional de jogos e aplicativos.

 

DSC09199    DSC09213

Moacyr Alves da ACIGAMES e Jogo Justo apresentando o mercado de games no evento

 

No evento teve a participação de representantes do governo dos Ministérios:

- Ministério da Cultura,

- Ministério do Comércio Exterior

- Receita Federal.

 

A desoneração pode estar demorando, devido a burocracia do governo, porem cada vez mais estamos dentro do governo falando e mostrando a importância deste setor para o Brasil e também estamos ganhando cada vez mais pessoas pela nossa causa.

Um abraço a todos

Equipe Jogo Justo.

No dia 03 de Abril deste ano Moacyr Alves o criador do Jogo Justo e presidente da ACIGAMES debateu com representante do governo e demais participantes de vários setores da cultura brasileira assuntos polêmicos como:

- Preconceito com os games

- Vale Cultura e a polêmica com a Ministra da cultura

- Lei Rouanet e o suporte para games

- E muito mais

O programa é dividido em três partes:

 

Parte 01/03 Onde falam do preconceito com os games.

 

Parte 02/03 Onde falam da Lei Rouanet e da polêmica com a Ministra Marta

 

Parte 03/03 onde falam sobre “Jogos Violentos”

Aqui podemos ver exatamente como o governo vê os games e o quanto ainda temos que lutar contra velhos preconceitos.

No dia 19 de Janeiro de 2013, foi a data do 2° Fórum Nacional do comércio de games do Brasil, nós  escolhemos essa data principalmente por ser perto do 3° aniversário da associação ACIGAMES (Associação comercial, Industrial e Cultural dos jogos eletrônicos do Brasil) e claro que não poderiamos deixar de comemorar o aniversário da associação senão mostrando tudo que vem sendo feito pela área de games.

 

banner do forum

 

Desta vez, uma das grandes diferenças foi que convidamos as pessoas do governo com que nos reunimos no ano de 2012 para discutir sobre os avanços que tivemos para a tão sonhada redução da carga tributária nos games.

O evento começou oficialmente as 9:30 da manhã, tivemos um café para os convidados fornecido pelos nossos patrocinadores, que também foi outra novidade neste ano, visando o aproveitamento máximo do evento, pensamos em oferecer pela manha um café e a tarde um almoço, para que não houvesse atraso como no ano passado.

Claro aproveitamos e agradecemos aos nossos patrocinadores Platinium: Distribuidora Alcateia e desenvolvedora de games Reiza Studios aos nossos patrocinadores ouro: Nvidia, Proximo Games e distribuidora RCELL e ao nosso patrocinador Silver: Distribuidora Nc Games, sem vocês não seria possível fazer um evento de tão boa qualidade quanto foi o 2° Fórum Nacional do comércio de games do Brasil e também nossos apoiadores o Sebrae-SP a Fecomércio SP a Campus Party a Futura Networks a Abracem a Playercont e aos ministérios presentes.

O evento começou com praticamente todas as cadeiras tomadas e com a abertura do diretor de inovação do Ministério do Desenvolvimento industria e Comércio exterior João Batista Lanari que fez algumas criticas de como o governo vê a área de games, que ainda é de forma desfragmentada, apesar do grande trabalho que vem sendo feito pela ACIGAMES e pelo Jogo Justo no próprio governo, Lanari também mostrou o documento que foi produzido em 2011 no BNDES do Rio de Janeiro para a área de games, que contou com a Universidade Feevale o MDIC e também teve a participação da ACIGAMES e várias outras entidades.

 

20130119_acigames-5   20130119_acigames-4

Diretor de Inovação do MDIC – João Batista Lanari

Ao final de sua apresentação Lanari disse que já tem estudos para neste ano de 2013 ter outra reunião no BNDES para atualizar este documento e posteriormente ao final do debate do governo foi prometido um possivel fórum para o comércio de games dentro do próprio governo em Brasilia.

Após a abertura do governo, foi a vez da ACIGAMES representada pelo seu presidente Moacyr Alves Junior, mostrar mais dados sobre o mercado brasileiro feitos em conjunto com a sua parceira internacional a Newzoo, os dados chegaram a impressionar, pois foi a primeira vez que o mercado brasileiro de games foi comparado diretamente com os mercados da Europa e dos EUA e claro o que mais impressionou também foi justamente o crescimento dele comparado entre 2011 e 2012 um crescimento total de 106% em todas as áreas de games e um crescimento na área de consoles de 32% comparado ao ano de 2011.

 

20130119_acigames-11

Moacyr Alves mostrando o crescimento do consumo na área de consoles pela Newzoo

Outro dado muito importante e também pioneiro foi o numero de jogadores que estão nas plataformas Xbox 360 e Playstation 03 pela primeira vez pode-se ter uma idéia do mercado de games do Brasil e o mais interessante também foi poder ter finalmente um dado concreto de crescimento do mercado de games de ambos os consoles, infelizmente não conseguimos ter os dados da Nintendo no Brasil.

 

20130119_acigames-15

Moacyr Alves mostrando o crescimento das plataformas de consoles entre 2011 e 2012

E de fato o dado é muito interessante a Microsoft teve um aumento de 61% em suas vendas de xbox de 2011 para 2012 fechando o ano com 9.2 milhões de usuários no Brasil e claro que isso se deve também muito ao fato dela estar produzindo o console nacionalmente e a Sony fechou seu ano de 2012 no Brasil com 8.4 milhões de usuários um crescimento de 35% comparado ao ano de 2011 isso mostra o quanto o Brasil está crescendo e rapidamente nesse mercado.

Terminando a apresentação dos dados foi a hora das homenagens, a ACIGAMES lançou o prêmio ACIGAMES de qualidade, onde todos os anos os lojistas as distribuidoras e as publishers serão avaliadas pelo empenho durante o ano e serão levados em consideração:

Para os lojistas:

- Loja que tiver o maior numero de eventos ao público de games com qualidade.

- Loja que se destacar perante seus clientes, com o menor número de reclamações verificadas pela associação.

Para distribuidoras:

- Distribuidora que tiver o menor número de reclamações de seus clientes lojistas, onde teremos os critérios de atendimento ao lojista, mais rápida entrega e excelencia em serviço.

Para Publishers:

- A que tiver com o maior numero de titulos localizados em Português do Brasil.

- A que for mais eficiente na entrega do “Day one” de lançamento.

- A que tiver o menor número de reclamações de lojistas.

- A publisher mais eficiente no quesito “marketing de games”

Neste ano para abrirmos o prêmio tivemos os seguintes homenageados:

ACIGames_0066

Abraão Games – Loja Modelo de eventos destinados ao público de games.ACIGames_0073

Loja Moove – Loja Modelo de eventos destinados ao público de games.

ACIGames_0079

Uz Games – Loja pioneira de eventos para o público de games.

ACIGames_0082

Hive Digital – Melhor e mais eficiente desenvolvedora de games do Brasil

Após as homenagens foi o momento de trazer mais uma novidade para o comércio de games a iSales que é uma central de negociação para o pequeno e médio lojista apresentado pela sua CEO Debora Satyro, essa central de negociações é o que promete ser uma revolução para nosso mercado de games, ela atua como uma centralizadora de vantagens para o lojista que comprando em conjunto consegue muito mais vantagens do que em uma negociação sozinho, entre elas:

- Price Protection

- Redução no preço de compra para o lojista

- Aumento no prazo para pagamento

- Melhor eficiência no controle de estoque

ACIGames_0095    ACIGames_0100

Debora Satyro apresentando a central de compras iSales para pequenos e médios lojistas de games.

Depois da apresentação da iSales foi a vez das bigs ou na verdade de uma big da indústria a Microsoft a Sony foi convidada, aceitou o convite porem depois declinou, infelizmente.

Então como era de se esperar o que na verdade seria um debate, acabou sendo uma apresentação da Microsoft e seu bem sucedido Xbox 360 no Brasil.

ACIGames_0108    ACIGames_0102

Guilherme Camargo da Microsoft apresentando os bons resultados do Xbox 360

Logo em seguida tivemos a palestra de nossa parceira a Abracem (Associação Brasileira dos consultores de empresas) onde seu presidente Sr. Carlos Medeiros apresentou a importância da gameficação e também de se contar histórias gameficadas, logo em seguida foi hora do almoço onde a ACIGAMES ofereceu gratuitamente alimentação aos participantes do evento.

ACIGames_0138    ACIGames_0142

Carlos Medeiros – Presidente da Abracem

ACIGames_0152    ACIGames_0156

Almoço oferecido pela ACIGAMES aos participantes do evento.

No retorno foi a vez da instituição SEBRAE entrar com a palestra “Loja arrumada vende mais” onde foi demonstrado o sucesso de uma loja de jogos que teve seu faturamento acrescido em mais de 60% depois que ele tomou a iniciativa de mudar toda a sua aparência estética.

 

ACIGames_0165     ACIGames_0180

Fabio consultor do Sebrae falando sobre a importância de se ter uma loja organizada em games.

Terminando a apresentação do Sebrae, um dos momentos mais esperados foi a mesa de debate com o governo, na mesa estavam o Ministério das Ciências e Tecnologia representados por João Luiz Lanari o Ministério da Justiça representado pelo Davi Pirez e pelo Rafael Vilela da área da classificação indicativa, Fábio Azevedo do Sebrae de São Paulo, infelizmente o pessoal do Ministério da Justiça não pode comparecer e ficou a Cargo do presidente da ACIGAMES Sr. Moacyr Alves falar dos acontecimentos dentro do ministério da cultura para a área de games.

ACIGames_0184     ACIGames_0204

ACIGames_0213    ACIGames_0206

Dentre os destaques deste debate, podemos falar sobre a entrega de 08 projetos para a redução de carga tributária nos games que foram entregues ao Ministério da Culura pela ACIGAMES e Jogo Justo e também outros 04 projetos para o desenvolvimento de games no Brasil.

João Lanari do Ministério da Ciência e Tecnologia ressaltou novamente da fragmentação com que o governo vê os games e da importância do trabalho da ACIGAMES dentro do governo para demonstrar o quanto o mercado de games é crescente em nosso país.

Na sequencia entrou a Nvidia com uma palestra muito interessante sobre as novas tendências de mercado onde ela falou sobre o interessante mercado digital que vem crescendo e falou tambem um pouco sobre o seu console o SHIELD

 

ACIGames_0226    ACIGames_0228

Logo em seguida foi a vez das maiores distribuidoras de games do Brasil sentarem para o debate, estavam presentes as seguintes distribuidoras:

- Ecogames

- Rcell

- Alcateia

- NC Games

 

ACIGames_0251   ACIGames_0259

 

Todos eles quando questionados sobre o preço e sobre a concorrência desonesta para lojistas as distribuidoras comentaram sobre os diversos problemas que eles tem nesse mercado, onde podemos destacar:

- Problemas com a liberação da carga nos portos e aeroportos pela receita federal

- As altas taxas de importação.

- O grave e conhecido problema do imposto

- A mudança de cotação do dolar no cambio

Para finalizar foi a vez das publishers se apresentarem que foram a Konami a Warner Bros Games e a 1080 Partners apresentadas pelo nosso vice presidente o Jorge Proença da Singol Games.

 

ACIGames_0270    ACIGames_0297

ACIGames_0265

 

Aqui os maiores problemas apresentados foram:

- Alto indice de pirataria

- Atraso dos portos e aeroportos

- Curta margem de lucro para os lojistas

E com isso terminamos o 2° Fórum do comércio de games do Brasil, novamente conseguimos fazer um excelente evento, muito profissional e com muita informação para que as pessoas pudessem tirar suas dúvidas do comércio de games no Brasil, após o término do fórum foi gerado um documento e entregue para o governo com todas as propostas de solução para os problemas mostrados.

A VGbr gravou os melhores momentos do Fórum que você pode conferir neste video:

 

2° Forum nacional do mercado de games do Brasil pela VGBr

 

Esperamos agora para o ano que vem o 3° Fórum e que venha com boas notícias.

Abraços a todos

banner do forum

 

Evento terá convidados do Governo Federal, Microsoft, Sony e de empresas internacionais

 

Neste sábado, dia 19 de Janeiro, São Paulo será palco do 2º Fórum Nacional do Comércio de Games do Brasil. O evento, realizado pela ACIGAMES (Associação Comercial Industrial e Cultural dos Games), contará com a participação dos maiores distribuidores de games do mercado, representantes de cinco Ministérios do Governo, as principais publishers do País e 67 lojistas de jogos eletrônicos de diversos estados.

O debate terá a presença de convidados internacionais, como a GREE (Japão), RLS (Espanha), 1080 Partners (EUA), Kindp (Alemanha) e de François Removille, Presidente da Câmara do Comércio Francês.

A ACIGAMES irá apresentar dados do mercado nacional, comparando pela primeira vez com os mercados dos EUA e a Europa, bem como os últimos dados sobre a venda de consoles no Brasil e todo o seu crescimento no ano de 2012.

O objetivo do encontro é fortalecer o mercado de games no Brasil e criar um documento para ser entregue ao governo, como forma de ajudar no desenvolvimento do setor no País.

Segue abaixo toda a programação do evento:

Cronograma do 2º Fórum Nacional do comércio de games do Brasil.

Horário:

 

Das 08:30 as 9:00 – Café da Manhã

 

Das 09:00 as 9:20 – Solenidade de abertura:

 

- João Batista Lanari (Diretor de Inovação no Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior).

 

Das 09:20 as 10:00

 

- Apresentação ACIGAMES (Homenagens) – Os novos Rumos do Comércio de games do Brasil – Lançamento da Central de Compras para pequenos e médios lojistas.

 

 

Das 10:00 as 11:30

 

Debate Indústria

Moderador: Moacyr Alves

- Guilherme Camargo – Microsoft

- Pedro Caramuru e Leandro Venditti – Sony

(Perguntas e respostas – 10 Min.)

 

Das 11:30 ao 12:00

 

Abracem

Gameficação como instrumento da inovação em modelos de negócios.

CARLOS MEDEIROS

Consultor Empresarial. Especialista em Gestão de Operações e Modelos de Negócios. Partner Associate da Agência de CoCriação. Presidente e Fundador da ABRACEM – Associação Brasileira de Consultores Empresariais.

FRANCISCO ALBUQUERQUE

Consultor em Inovação e Modelos de Negócios. Presidente e Fundador da Agência de CoCriação. Diretor do Grupo de Inovação, Estratégia e Branding da ABRACEM – Associação Brasileira de Consultores Empresariais.

Do 12:00 as 13:00 – Almoço

 

Das 13:00 as 13:30

 

SEBRAE

Loja organizada vende mais.

Fabio de Azevedo

Consultor de Varejo e Marketing do SEBRAE-SP

Pós-Graduação em Marketing pela FAAP

Especializado em Marketing Direto pela ABEMD (Associação Brasileira de Marketing Direto), Visual Merchandising pela BELAS ARTES e também na ESPM (Escola Superior de Marketing e Propaganda), Franchising pela ABF (Associação Brasileira de Franquias), Marketing de Relacionamento pela ITICOM.

Atua no SEBRAE a mais de 15 anos atendendo pequenas empresas independentes.

Implantou a consultoria empresarial para o SEBRAE-SP em 2006 e projetos estadas de atendimento ao pequeno empresário e empreendedor.

 

Das 13:30  as 14:30

 

Debate Governo

Moderador: Moacyr Alves

- João Batista Lanari (Ministério do desenvolvimento, Indústria e Comércio)

- Ana Paula Dourado Santanna (Ex. Ministério da Cultura)

- Davi Perez (Ministério da Justiça)

- Rafael Moreira (Ministério das Ciências e Tecnologia)

- Fabio de Azevedo (Sebrae-SP)

 

Das 14:30 as 15:00

 

Nvidia

Palestrante: Richard Cameron

Tema: Novos paradigmas para a indústria de games (Projeto SHIELD)

 

 

Das 15:00 as 16:00

 

Debate Distribuidoras

Moderador: Kao Tokyo

- Ricardo Marques – Alcateia

- Rogerio Ferreira – Rcell

- Luiz Henrique Brim – Nc Games

- Luiz Baida – Ecogames

 

Das 16:00 as 17:00

 

Debate Publishers

Moderador: Jorge Singol (Singol Games)

- Bertrand Chaverot – Ubisoft

- Cleyton Oliveira – Warner Bros

- Jorge – Team One

- Anibal Vera – Konami

- Rodrigo Batelli – 1080 Partners

 

Das 17:00 as 18:00

Workshop Central de Compras – Produção finalização documento para o governo com problemas e soluções para a área de games no Brasil

A ministra da Cultura, Marta Suplicy, abriu a possibilidade dos internautas falarem à respeito do Vale Cultura, benefício de R$ 50 mensais concedido aos trabalhadores que receberam até cinco salários mínimos por mês.

 

marta e dilma

Presidente Dilma Rousseff assinando o vale cultura

Esta semana, o Ministério da Cultura pediu ao presidente da ACIGAMES, Moacyr Alves Júnior, que convocasse os gamers a deixarem sua opinião sobre a ação do governo na página do Ministério da Cultura.

Gamer faça sua parte e Deixe sua mensagem nos comentários da matéria postada no Ministério da Cultura.

 

Como funciona – O Vale Cultura será disponibilizado, preferencialmente, por meio magnético. Não será permitida a troca do vale por dinheiro e aqueles trabalhadores que aderirem ao programa terão um desconto máximo de 10% do valor do vale sobre seus salários. Este percentual será diferenciado para aqueles que recebam mais do que cinco salários mínimos.

 

Entre os pontos que devem ser esclarecidos com a regulamentação está a definição concreta de serviços e produtos culturais que o trabalhador poderá consumir com o Vale-Cultura.

 

Todos ganham

Trabalhadores: acesso aos produtos e serviços culturais, formação pessoal e melhoria da qualidade de vida;

Empregadores: incentivo fiscal para adesão ao sistema e satisfação e qualificação dos empregados;

Mercado: injeção de R$ 7,2 bilhões/ano na cadeia produtiva da Cultura;

Artistas: escoamento da produção cultural e ampliação da demanda;

Ministério da Cultura: avanço na política de democratização do acesso aos bens e serviços culturais.

Nos dias 29 e 30 de Novembro de 2012 no centro de convenções Brasil XXI em Brasília, aconteceu o 1o Simpósio Brasileiro de políticas públicas para comércio e serviços.

Estavam presentes praticamente todos os ministros do atual governo, bem como os presidentes da Apex Brasil, presidente da câmara mundial do comércio, presidente do Sebrae e também vários senadores e deputados parlamentares.

DSC08057

Abertura do 1o Simbracs Simpósio Brasileiro de Políticas Públicas para Comércio.

 

A ACIGAMES e o Jogo Justo tiveram uma apresentação especial e uma outra apresentação fechada apenas para convidados e membros do governo onde discutimos mais uma vez sobre a questão da alta carga tributária dos jogos eletrônicos, bem como a dificuldade das desenvolvedoras nacionais de games que carecem de apoio do governo.

Nesta apresentação fechada os pontos discutidos pela ACIGAMES e o Jogo Justo foram:

- Alta Carga tributária que impede que o comércio de games se desenvolva plenamente no Brasil.

- Falta de uma política exclusiva que facilite o comércio de games no Brasil com leis mais simples e claras.

- Falta de apoio e incentivo dos governos Federal e Estadual para com as desenvolvedoras de games nacionais.

- Falta de editais e de incubadoras de fomento a desenvolvedoras por parte do governo.

- Questões trabalhistas voltadas para o setor de comércio e desenvolvimento da área de games.

- Preconceito em relação a jogos eletrônicos e digitais, que deviam ser mais bem trabalhados pelo governo como material cultural e de ecônomia criativa, não como apenas “brinquedos” ou “coisa para crianças”

- Falta de apoio para eventos de cunho cultural envolvendo games.

DSC08081   DSC08083

   Thiago Cremasco do Ministério da cultura e Moacyr Alves da ACIGAMES e Jogo Justo.

Mostramos também a última versão da pesquisa que estamos desenvolvendo junto com as grandes empresas de pesquisas internacionais como a Newzoo, falando somente do quanto o Brasil cresceu na área de games e o quanto ela pode crescer ainda mais se esses pontos apresentados, tiverem a devida atenção do governo, foi mostrado pela primeira vez uma comparação entre os mercados dos Estados Unidos e Europa versus o Brasil e quanto se cresceu em comparação de 2011 a 2012 e o Brasil surpreendeu a todos os presentes, que claramente não tinham idéia de quanto crescemos e do quanto ainda podemos crescer.

Newzoo pesquisa   newzoo pesquisa 2

Pesquisa sobre o mercado brasileiro de games e seus responsáveis.

 

Essa sem dúvida alguma foi a reunião mais representativa que tivemos neste ano para toda a área de games e saímos de lá com a certeza que havíamos feito um bom trabalho, agora é esperar pela segunda parte do plano Brasil Maior, onde todos nossos esforços foram concentrados para a redução de carga tributária e também para o desenvolvimento das empresas que produzem jogos aqui no Brasil.

Por fim a excelente impressão que saímos deste simpósio, foi que finalmente chegamos a todas as esferas do governo falando sobre games e da dificuldade que nosso mercado como um todo tem.

Todos os presentes nos garantiram que esse quadro irá mudar muito em breve.

Abraços a todos e obrigado pelo apoio como sempre.

Diretoria da ACIGAMES e do Jogo Justo.

 

No dia 10 e 11 do mês de Setembro tivemos a primeira grande reunião do conselho do Áudio Visual do Brasil pelo ministério da cultura para discutir vários assuntos, relacionacionados ao mercado áudio visual no Brasil. E claro games era uma das pautas da reunião.

 

DSC01174

Várias áreas do audio visual unidas na reunião do SAv

 

A reunião aconteceu no museu de cinema de São Paulo em dois dias e vários representantes das áreas de cinema, animação, seriados, Tvs, cinema independente entre outras entidades.

 

Do ministério da Cultura estavam presentes:

 

- Ana Paula Dourado Santana (Secretária executiva do Ministério da Cultura)

- Andressa Marques T. Pappas (Coodenadora Geral de Desenvolvimento do Audiovisual)

- Emerson Rodrigues (Assessor)

- Débora Palmeira (Assessora)

 

Foram inúmeras pautas e conversas para melhoria do setor do audio visual em geral, algumas das propostas mostradas para a área de games foram:

 

- Projeção, procedimentos, metas e resultados.

 

Foram propostas pesquisas na área para mapeamento de consumo e desenvolvimento nos games, saber exatamente o tamanho do Brasil e seu mercado e exatamente o que ele necessita no setor para crescer mais e melhor na produção e comércio de jogos eletrônicos e digitais.

Foi proposto um planejamento para empresas novas, com financiamento do governo e também acompanhamento da mesma no decorrer do período, até a entrega de um projeto que neste caso seria um jogo produzido pela empresa a ser financiada.

Melhoria do nível de ensino de alunos e professores através de intercâmbios internacionais para troca de ensino, neste caso foi usado o exemplo da parceria entre a ACIGAMES e a Universidade tecnológica de Madrid a U-TAD onde planejamos usar o programa “Brasil sem fronteiras” para alunos e professores.

Incentivo financeiro para a compra de máquinas e equipamentos para faculdades com cursos de jogos digitais (Públicas) e parcerias entre as universidades e as empresas para fornecimento de Kits de desenvolvimento, onde os alunos teriam acesso a aparelhos de desenvolvimento em jogos de última geração.

Criação de mais incubadoras de empresas dentro de universidades, com uma linha de apoio não apenas voltada para o desenvolvimento, mas também para o empreendedorismo das mesmas.

Incentivo a jogos educativos, aqui foram propostos mais incentivos para empresas que fazem jogos educativos, foi citado o exemplo do jogo “Cidade da Educação” da empresa Singol.

Participação em feiras e eventos internacionais, uma de nossas propostas é ter linha de financiamento do governo para empresas de games brasileiras, mostrarem seus jogos em feiras internacionais.

Por fim foi dito na desoneração dos Kits de desenvolvimento para games de ultima geração, ao qual os valores dos aparelhos quando entram no Brasil sofrem de 60% de imposto sendo que o custo do próprio kit é muito alto, fica completamente inviável trazer os kits de desenvolvimento.

Os modelos utilizados de países com fortes incentivos nessa área foram:

- Canadá com seu investimento de 35% nos jogos eletrônicos

- Romênia que zerou impostos de games produzidos no país.

- França que tem um sistema de financiamento para empresas desenvolvedoras de games.

- Coréia com seu Ministério dos Games e os fortes investimentos em MMos.

 

DSC01176    DSC01177

 

– No segundo dia nosso trabalho foi voltado a preço e serviço e como podemos melhorar o sistema de comércio de games:

 

No Comércio foi colocado novamente em pauta o problema que temos com impostos e o quanto essa carga tributária de 72,8% (em alguns casos até mais) atrapalha todo o processo de games no Brasil.

Falamos sobre a necessidade de uma política de tratamento diferenciado nos estados, pois o ICMS é um dos outros vilões no preço dos jogos, alguns chegando a 26% mais caro em estados como o Rio de Janeiro e 24% no Rio Grande do Sul.

Outro comentário feito nesse sentido foi o quanto a pirataria e o contrabando são beneficiados por essa política de impostos abusivos aqui foi citado a queda de vendas dos consoles Xbox no Paraguai após a redução do preço do aparelho aqui no Brasil.

 

DSC01184

Primeira reunião do Comitê Consultivo do Áudio Visual

 

Essa foi a primeira das 04 reuniões anuais que o setor do áudio visual terá no decorrer do ano. Esperamos que com cada reunião dessas o nosso país consiga chegar mais perto de um mercado justo e também de uma área de desenvolvimento rápida e eficiente para os games.

 

Obrigado e até a próxima reunião.

No dia 28 de Agosto tivemos uma importante reunião seguida de workshop para o projeto Jogo Justo e para a ACIGAMES.

A convite da própria ministra da cultura Ana Buarque de Holanda e da secretária da Economia criativa Claudia Leitão, o presidente da ACIGAMES e também idealizador do projeto Jogo Justo, Moacyr Alves Junior foi a Brasília para discutir incentivos para a área dos games no Brasil através do plano Brasil Criativo do Ministério da Cultura.

 

Foram praticamente seis horas de workshop dentro do Ministério da Cultura, para traçar os novos planos do governo na área criativa. E para boa notícia o ministério da cultura tem games como uma de suas prioridades nesse plano.

 DSC01037    DSC01051

    Sala de reuniões do MinC                        Min. da Cultura e Sec. da Economia Criativa

DSC01038

A área de games representada por Moacyr Alves

Nesse workshop cada setor criativo, ficou de repassar seus problemas e apresentar soluções para sua área em três âmbitos: Academia, Desenvolvimento e Comércio.

Dos problemas citados para a área de games por parte do comércio podemos citar alguns como:

- Alta carga tributária, fazendo com que os jogos para consoles e portáteis fiquem muito acima de um preço considerado razoável, incentivando assim o mercado cinza (pirataria) e o contrabando, lesando assim o comércio legal de games no Brasil, novamente o case do dia do “Jogo Justo” mostrou que se os preços fossem justos, teríamos um aquecimento do mercado, todos os presentes ficaram espantados com os números de vendas apresentados nos dias e com o site do Wallmart que teve mais de 800 mil acessos em apenas 10 minutos.

- Concorrência injusta por empresas que praticam preços muito abaixo do mercado, sem comprovar corretamente a origem desses produtos.

 

Na área do desenvolvimento alguns dos principais problemas citados foram:

 

- Falta de apoio do governo, referente a feiras internacionais e nacionais para nossos desenvolvedores.

- O imposto sobre jogos e aplicativos feitos que ficam em torno de 40%

- A falta de planos e incentivos exclusivos para a área de games, aqui foram citados os exemplos de países como o Canadá (que paga 35% da folha de pagamento de uma empresa voltada a games) da Romênia (que isentou as empresas de games de impostos para jogos produzidos no país) e a França que tem planos de incentivo para empresas de games.

- A falta de mais editais voltados aos games.

- A necessidade de criar um instituto que possa gerenciar um fundo de financiamento para empresas startups de games.

Para a academia alguns problemas citados foram:

- Necessidade de profissionalização e intercâmbio de alunos e professores de games.

- A criação de um banco de livros de programação em jogos, traduzidos para o português.

- Ampliação e melhora do setor de games entre as faculdades.

- Criação de um setor de empreendedorismo dentro das faculdades voltadas a games, para além de ensinar sobre a produção dos games, também dar noções básicas de gerenciamento de uma empresa.

Após o término do Workshop foi gerado um documento que foi entregue pessoalmente a presidenta Dilma Rouseeff sobre tudo que foi discutido no evento e com esse documento entregue foi o primeiro de uma série de esforços que estamos tomando, para a conclusão do projeto Jogo Justo. Outro ponto forte que tivemos nesse evento foi o fortalecimento da ACIGAMES com vários outros setores e ministérios do governo, o que gera ainda mais confiança do governo para com a associação e para com o mercado de games.

01    DSC01059

Moacyr Alves no MinC                               Claudia Leitão e Moacyr Alves.

Essa foi uma das reuniões decisivas para a área de games no Brasil, temos outras duas frentes que estamos atuando agora que são o Plano TI maior pelo ministério das ciências e Tecnologia onde já anunciamos o investimento do ministério para games em torno de 43 milhões de reais, que estamos ajudando e indicando onde o dinheiro pode ser melhor investido e o plano Brasil Maior que será a frente de redução de carga tributária, onde estamos participando ativamente com todos do ministério da cultura para melhorar o setor e aproveitamos e deixamos aqui nossos agradecimentos a todos do MinC pelo ótimo apoio e incrível feedback que recebemos do ministério, quando todo o trabalho for concluído faremos um documento com o nome de todos agradecendo os participantes do governo nesse projeto.

Aproveitamos e deixamos aqui para conhecimento do público que já deixamos ao todo para o governo 09 estudos do setor, 03 projetos completos e mais 16 documentos propondo a redução de carga tributária.

 

E claro somente com o apoio de todos que vamos conseguir mudar o quadro atual dos games no Brasil e claro todos podem ajudar propondo soluções ou nos ajudando e colaborando conosco, para isso basta entrar em contato conosco pelo e-mail da secretaria da ACIGAMES

 

Gostaríamos de agradecer também a todos que nos ajudam nessa luta.

Games em Hospital uma idéia de sucesso.

A ACIGAMES foi convidada para ser parceira no projeto idealizado pelo seu vice presidente Marcos Khalil da Uz games no Lounge de games do Hospital do Cancêr de Barretos.

A idéia é pioneira no Brasil e não pensamos duas vezes em participar, basicamente consiste em uma sala de games montada dentro do Hospital do Cancêr de Barretos, onde todas as crianças podem jogar livremente todos os consoles de ultima geração e tendo sua manutenção por várias empresas parceiras.

Com isso as crianças e até mesmo os pais e acompanhantes, tem a impressão de não estar em um hospital de tratamento e sim em um local divertido e claro os primeiros a aprovarem foram os jovens e as crianças.

 

DSC00258      DSC00265

Hospital do Cancêr em Barretos              Entrada do Lounge de games

 

Conversando com vários médicos do hospital todos eles aprovaram a idéia e falaram que é a sala mais visitada de todo o complexo, que também é provido de um mini cinema, brinquedoteca, mini biblioteca infantil e muito mais. Isso demonstra o quanto games também podem ser benéficos, para esse tipo de ambiente.

 

      DSC00299

Criança usando kinect no Lounge                  Aparelhos de ultima geração

 

Essa idéia da equipe da Uz Games é digna de aplausos e claro a associação em conjunto com seu idealizador Marcos Khalil já estão trabalhando para replicar esse sucesso em vários outros hospitais. 

E o mais importante que não é apenas uma sala feita e deixada de lado, todos os parceiros se comprometeram na manutenção dela, sempre inovando e colocando jogos, para que as crianças possam sempre ter a experiência mais recente possível do mundo dos games.

 

DSC00274      DSC00305

Marcos K. – Gilberto A. – Moacyr A.             Dr. Luiz Fernando pediatra do Hospital

 

E vocês pensam que para por aqui as boas novidades ? Fechamos parceria com a desenvolvedora de games Singol Games Educativos e já estamos produzindo um game, que vai tratar de falar sobre a prevenção do cancêr infantil o Dr. Luiz Fernando responsável pela área de pediatria no hospital nos disse que se for diagnosticado no começo o cancêr as crianças tem 85% de chance a mais de sucesso no tratamento, e de que forma melhor para fazer isso, senão um jogo voltado a prevenção de câncer infantil.

Esperamos poder replicar isso no Brasil inteiro e assim tornar mais divertido o ambiente dos hospitais para crianças.